Dentista finge ser PJ e faz escutas (Portugal)

Dentista finge ser PJ e faz escutas (Portugal)

escuta-telefonica

O dentista e o cúmplice foram ontem detidos pela PJ do Porto. O primeiro ficou em prisão domiciliária e o outro saiu em liberdade.

Na busca domiciliária à casa do dentista, a PJ encontrou diverso material geralmente utilizado pelas autoridades para a realização de escutas telefónicas e operações de vigilância. O detido alegou que trabalhava como detetive nas horas livres, mas a PJ investiga agora qual o destino dado afinal ao material, uma vez que não há registo oficial do dentista naquela atividade. Foi ainda encontrada um revólver, Magnum, .22 milímetros.

Os dois sem-abrigo foram vítimas de extrema violência. Além de terem sido brutalmente agredidos e torturados, com o intuito de revelaram onde estavam as joias e o dinheiro que teriam desaparecido, chegaram a ser ameaçados de morte. O dentista e o técnico pararam o carro, um Audi A3, junto à Ponte da Arrábida e ameaçaram que se aqueles não dissessem onde tinham os bens, seriam lançados ao rio. Durante a agressão mostraram, além do falso crachá de PJ, um cartão de detetives que também terá sido forjado.

Os dois sequestradores abandonaram as vítimas depois de lhes terem roubado uma elevada quantia de dinheiro – tudo em notas de 50 euros. Às autoridades, os sem-abrigo garantiram que não fizeram o assalto.

Fonte: Correio da Manhã

0
Gosto
Guardar
Desenvolvido por MercadoAlvo.com